Entenda a Causa

Fazenda do Arado Velho:

Um vasto território ambientalmente sensível ameaçado por condomínios e aterramentos. 

A Fazenda é patrimônio natural de Porto Alegre!

Entenda porque devemos preservar esse patrimônio.


Onde se localiza a Fazenda do Arado Velho?

A Fazenda do Arado integra a paisagem do Extremo Sul de Porto Alegre, localizando-se às margens do Guaíba e ao lado do núcleo urbano de Belém Novo.


Como é a Fazenda?

A Fazenda consiste em um terreno baixo, de 426 hectares, sujeito à inundações e alagamentos frequentes, tanto pela subida do nível do Guaíba quanto pelo represamento das águas da chuva.

Assim, grande parte da área apresenta campos de várzea com maricazais e banhados permanentes e sazonais entremeados por fragmentos de mata atlântica, típico de ecossistemas de restinga da planície costeira do Rio Grande do Sul.

A Ponta do Arado e o Morro do Arado aparecem também como elementos marcantes da paisagem, apresentando densa vegetação de mata atlântica. Ao longo das margens do Guaíba, praias de areia intercaladas com juncais e aguapés formam a orla da Fazenda.


Qual é a importância Ambiental da Fazenda?

Em termos ambientais, o território cumpre funções extremamente importantes:

  • Planície de inundação das cheias do Guaíba – a área tem capacidade de absorver aproximadamente um bilhão de litros de água (um milhão de metros cúbicos).
  • Purificação das águas da chuva e do Guaíba – a vegetação nativa permite a limpeza natural das águas superficiais.
  • Purificação do ar e menores temperaturas – a transpiração da vegetação nativa reduz a temperatura da região.
  • Refúgio de centenas de espécies de animais, incluindo os peixesjacaré, capivara, lontra, ratão do banhado, ouriço, graxaim, etc;
  • Refúgio e nidificação de mais de 100 espécies de aves – maior parte aves campestres, incluindo aves migratórias protegidas por lei.
  • Refúgio e hábitat de mamíferos ameaçados de extinção:
    • Bugio Ruivo;
    • Gato Maracajá;

 


Qual é a importância Histórica da Fazenda?

Destaca-se a descoberta de sítios arqueológicos de culturas indígenas (Guarani) da era pré-colonial na região.

Coleção de artefatos

Coleção de artefatos

Os sítios foram encontrados na região litorânea da Ponta do Arado e na Ilha Franscico Manuel pela pesquisadora Dra. Patrícia Gaulier – Unespar. Ressalta-se que, para determinar a verdadeira magnitude dessa ocupação indígena, é necessária a continuidade das pesquisas arqueológicas conforme indicação da própria arqueóloga francesa Patricia Gaulier em seu artigo.

Também é possível obter mais informações e visualizar peças encontradas nesses sítios arqueológicos no Museu de Porto Alegre Joaquim José Felizardo.

Além do sítio arqueológico, a Fazenda também apresenta um patrimônio arquitetônico e histórico do século XIX e século XX, incluindo ruínas, sede da fazenda, harras e o emblemático casarão no topo do Morro do Arado, construído pela família Caldasúltimos donos da fazenda a morar lá.


Qual é a importância Cultural da Fazenda?

Os aspectos culturais que a Fazenda carrega são de extrema importância, uma vez que ela integra a paisagem da Zona Sul Rural de Porto Alegre.

Antes sede de um famoso haras de cavalos da famílias Caldas, a área sempre se relacionou com a as tradições regionais. Atividades culturalmente marcantes que a fazenda apresentou em seu passado recente:

  • Pesca artesanal – ainda hoje;
  • Criação de gado ovino e bovino – ainda hoje;
  • Criação de cavalos;
  • Cultivo de alimentos (principalmente arroz);
  • Navegação esportiva – ainda hoje;

Em especial, a relação da fazenda com o núcleo urbano de Belém Novo sempre esteve em sintonia com a cultura local: uma região marcada pela tranquilidade e qualidade de vida em meio à natureza preservada da Zona Sul.


Como é o empreendimento imobiliário que querem fazer na Fazenda?

Os investidores Iboty e Eduardo Ioschpe pretendem trazer para a Fazenda uma série de empreendimentos, incluindo condomínios da urbanizadora Damha.

Se quer fazer 3 condomínios fechados na área plana da fazenda, somando mais de 2 mil casas. Como a fazenda é uma área muito baixa, seria necessário o aterramento de 200 (duzentos) hectares – consumindo assim mais de 1 milhão de metros cúbicos de terra.

Uma área equivalente à 200 campos de futebol de banhados e várzeas seria aterrada para construção de ruas e casas!

O volume de terra seria de 125 MIL caçambas de caminhão – 1 milhão de metros cúbicos

Entendemos que esse empreendimento é insustentável em todos os aspectos do meio ambiente, pois:

  • Invade o espaço natural das águas do Guaíba;
  • Invade um ecossistema sensível, com animais ameaçados de extinção;
  • Invade uma comunidade e uma região rompendo aspectos sociais e culturais importantes;

Clique aqui para acessar o Estudo de Impacto Ambiental


A construção dos condomínios está de acordo com o Plano Diretor?

Não estava até alterarem o Plano Diretor, sem audiência pública para isso.

Até 2015 a Fazenda obedecia a um regimento urbanístico que previa, essencialmente, Zona Rural e Área de Proteção do Ambiente Natural, suportanto no máximo 276 economias (casas, edificações, etc).

No entanto, a Prefeitura criou um projeto de Lei (PLCE 005/15) que muda o Plano Diretor na área da Fazenda. Sem discussão em audiência pública, esse projeto foi aprovado então pela Câmara de Vereadores em 5/Out/2015. Em 20/Nov/2015, a Prefeitura sanciona a lei, dando origem à Lei Complementar 780/2015 – a lei que mudou radicalmente o regime urbano da Fazenda.

O novo regime aprovado AMPLIA EM 12 VEZES O NÚMERO DE CASAS permitidas na área da Fazenda, configurando um verdadeiro espalhamento urbano. De 276, o número de economias foi para 3664.

Confira o impacto da mudança ilegítima do Plano Diretor: